Guardiões da Galáxia Vol. 2

Guardiões da Galáxia Vol. 2

Na última sexta feira (28/04) fomos convidados pelo Cinesystem da Praia Grande para assistir ao mais novo filme da Marvel: Guardiões da Galáxia Vol 2. A continuação do grupo cósmico da Marvel impressiona, mas ainda assim não é tão marcante quanto o primeiro.

 

O grupo, um dos mais esquecidos do Universo Marvel, recebeu uma dose incrível de simpatia com o grande público depois do primeiro filme, que é leve, divertido e com uma trilha sonora pra lá de especial.

Nos quadrinhos, a franquia é uma das mais engraçadas da editora, e James Gunn soube passar com muito carinho a sensação que os guardiões mostram em sua mídia de origem, mesmo com todas as travas da editora. E ele repetiu o feito nessa continuação, que consegue ser independente do primeiro filme no sentido de não se repetir, nem em piadas, nem em história.

Os personagens passam por uma evolução gigantesca e alguns dos membros do grupo que haviam ficado como coadjuvantes no primeiro longa tiveram um destaque maior agora.

Depois dos eventos em Xandar, o grupo conhecido como Guardiões da Galáxia começa realizando um trabalho para uma raça superior. Após tudo dar errado, eles acabam tendo que fugir e no meio do caminho encontram um homem, que se apresenta como pai biológico de Peter Quill, o Senhor das Estrelas.

O Senhor das Estrelas então deve então lidar com problemas do passado enquanto uma nova ameaça se aproxima. Apesar do foco em Peter Quill, o filme difere de seu antecessor dando muita atenção individual a cada personagem.

Enquanto o primeiro mostra a formação do grupo e o nascimento da amizade entre os guardiões, o segundo dá profundidade a cada um dos personagens, com momentos cômicos e dramáticos nos fazendo uma identificação maior com Peter (Chris Pratt), Gamora (Zoe Saldana), Drax (Dave Bautista), Rocky (Bradley Cooper), Groot (Vin Diesel), além de termos mais tempo de Yondu (Michael Rooker) e Nebulosa (Karen Gillan), que ficaram bem apagados no primeiro filme da franquia.

A novata Mantis (Pom Klementieff) dá um show de interpretação e mostra que a formação dos Guardiões da Galáxia é sempre fluída, em constante mudança, possibilitando que muitas outras histórias sejam exploradas.

O vilão do filme também é muito bem utilizado, com mais tempo de cena que seus companheiros malignos dos outros filmes nos permitindo captar e entender suas maquinações e objetivos.

Baby Groot dá um show a parte, e todos os momentos em que ele aparece divertem e mostram a capacidade do personagem de ser mutável e impressionante.

A produção do filme está impecável, com efeitos especiais de brilhar os olhos e figurino e maquiagem perfeitos. A trilha sonora, algo que muitos se perguntavam, mantém a qualidade com diversos clássicos da música internacional perfeitamente encaixados com o filme.

Com certeza é um filme que vale a pena ser conferido, e de quebra ainda possui CINCO cenas extras. Infelizmente, entretanto, os rumores de que estas cenas dariam indicios para vários dos futuros filmes do Universo Marvel estavam errados, mas todas as cenas são bem divertidas e algumas em particular dão pistas do que está por vir!

Até a próxima!

Sarah Campos

Sarah Campos

Fundadora do Sahssaricando. Vive com a cabeça no mundo da lua, parou no tempo do Balão Mágico e tem alma oitentinha. Gosta de assuntos bons o suficiente para render horas de conversa e é uma eterna aprendiz da vida.
Sarah Campos