[Netflix] GLOW

[Netflix] GLOW

O novo seriado do Netflix, GLOW, chega resgatando o mood anos 80 de maneira brilhante. Neste fim de semana assistimos todos os episódios e agora falamos porque é preciso assistir.

Logo no início do primeiro episódio entendemos a premissa da série. Mulheres insatisfeitas com a forma que suas vidas seguem e buscam valorização na carreira de lutadoras em um show de televisão conhecida como Wrestling.

Para quem não conhece, wrestling é uma modalidade de luta livre ensaiada. São grandes apresentações feitas para televisão onde os “personagens” tem histórias, estilos e nacionalidades diferentes. O foco destes programas de televisão é levar além das lutas uma espécie de “novelinha” aos espectadores. Esses personagens podem ser heróis ou vilões, e se enfrentam no ringue defendendo ideologias, tribos sociais e até mesmo levando assuntos do cotidiano de maneira humorada para suas apresentações.

O seriado é vibrante, com um trilha sonora excelente (Journey, Bonie Tyler, The Roxette, Scorpions e outros gigantes da musica). A apresentação de início recorda todo o brilhantismo dos anos 80. Sabe Jem e as Holográficas? É nessa linha!

Tudo começa com Ruth (Alison Brie) fazendo um teste de elenco que a primeira vista parece ser muito empoderador. E em seguida vemos a realidade do script, a fala que Ruth leu era do personagem masculino e a dela seria na verdade duas frases para o papel de uma secretária.

Com essa sagacidade  logo na primeira cena, o seriado entrega seu propósito. Vamos falar como era difícil ser uma mulher nos Anos 80 que não queria exercer funções corporativas consideradas de sucesso (secretárias e telefonistas em resumo).

GLOW retrata mulheres fortes, não em atributo físico, mas em personalidade. Cada uma das personagens tem histórias de superação, conflitos pessoais e buscam em meio a tudo isso o seu lugar no ringue.

A série já está sendo muito comparada com Orange Is The New Black pela similaridade de temas como Empoderamento Feminino. E de fato é uma série que retrata de maneira muito real os obstaculos das mulheres que se atrevem a fazer “coisas de homem”.

A palavra titulo do seriado, GLOW, significa Gorgeous Ladies of Wrestling. E no seriado vemos uma diversidade de mulheres que nos aguça a curiosidade para saber mais sobre elas. Negras, loiras, ruivas, morenas, altas, baixas, gordas ou magras. E a cada episódio vamos vendo o desenrolar dessas conexões entre elas.

Nesta primeira temporada o palco principal da série é o desenrolar do programa mesmo. As personagens acabam ficando como pano de fundo. Mas apesar desta falta de profundidade, o seriado é promissor, podendo surpreender caso alcance mais temporadas.

Eu gostei bastante por já curtir programas como WWE e pelo fator nostalgia. Amo essa ambientação dos Anos 80. É com certeza uma das minhas épocas favoritas e como cresci no final dessa década, muitas coisas eu acompanhei.

Fica aqui a recomendação de GLOW.

Sarah Campos

Sarah Campos

Fundadora do Sahssaricando. Vive com a cabeça no mundo da lua, parou no tempo do Balão Mágico e tem alma oitentinha. Gosta de assuntos bons o suficiente para render horas de conversa e é uma eterna aprendiz da vida.
Sarah Campos